segunda-feira, 20 de abril de 2009

Caju


O verdadeiro caju é este fruto que, quando maduro, é avermelhado. Àquilo que em Portugal chamamos "caju" é na verdade a "castanha de caju" que tem uma casca dura a revestir e tem de ser assada para depois ser descascada. O caju é o produto guineense mais exportado e uma das principais fontes de rendimento, a par do arroz e peixe. O fruto tem um cheiro muito característico e inconfundível e, mal se sai de Bissau, começam a ver-se inúmeras árvores com frutos vermelhos ou alaranjados pendurados. Há cajueiros por todo o lado e, nesta época, há fruto de caju à venda um pouco por toda a parte. Para além do fruto, vende-se também bastante sumo de caju, que fermenta em poucas horas e tansforma-se em vinho de caju. O vinho de caju é muito comercializado e muito barato. Muitas vezes, ao final da tarde, os vendedores acabam por oferecer o vinho (ou aguardente) para despejarem os recipientes e os voltarem a encher para vender no outro dia. Do vinho, pelo cheiro, nem me consigo aproximar. O sumo também não me convenceu, mas o fruto, esse, adorei comê-lo debaixo da árvore em Biombo. Fiquei toda pegajosa e pingada, mas aquele sabor ligeiramente ácido é delicioso... O caju é rico em vitamina C e tem uma textura fibrosa. Há quem coma todo o fruto, mas eu sorvo o sumo e deito o resto fora. Cá em casa tem havido sempre castanha, que é vendida já assada e descascada. Em Portugal só conhecia caju salgado ou picante, mas aqui não há dessas coisas. A castanha é comida ao natural e tem um sabor adocicado e viciante!

2 comentários:

Angela disse...

Que giro nunca tinha visto antes!
e isso comesse?? e é bom??Que sabor é que tem??E o fruto em si tem um cheiro??

Telma disse...

O fruto come-se e é delicioso! Eu gosto muito de comer directamente debaixo da árvore, depois de passar por água. É muito fibroso, por isso eu mastigo-o para sorver o sumo e deixo as fibras todas mastigadas e espremidas. O sabor é bastante forte e ácido, apesar de doce. O cheiro é inconfundível! É muito forte e cheira-se a metros de distância!
Eu não gosto do sumo nem do vinho de caju, mas há muitos guineenses que adoram!